Página Inicial
| avançada |
Coimbra EditoraLivrarias AssociadasComo Comprar  

Registe-se

Email   Password
Homepage - Direito do Trabalho e da Segurança ...

Secções Temáticas
   
A ALIENABILIDADE NO DIREITO LABORAL TRABALHO NO DOMICÍLIO E TELETRABALHO

Autores: António Lopes Batalha
Local de Edição: Lisboa
Editor: Edições Universitárias Lusófonas
ISBN 978-972-8881-37-5
424 págs.
0,97Kg
Não disponível

índice

Prólogo
Apresentação
Introdução

PARTE I - O CRITÉRIO DA ALIENABILIDADE - Um renovado e revalorizado critério definitório das relações jurídico-laborais
1. Introdução
2. Revisão crítica dos conceitos de alienabilidade dentro do sistema de produção capitalista
3. Enquadramento da alienabilidade no mercado: a desconexão jurídica entre o trabalhador e o destinatário final do bem ou serviço, por interposição do empregador
4. Aproximação à noção de alienabilidade no Mercado
5. Fundamentação da alienabilidade no mercado
6. A alienabilidade no mercado: uma tentativa de transposição para o Direito do Trabalho português
7. O erro interpretativo no Direito do Trabalho português: a subordinação jurídica como "único critério definitório" do contrato de trabalho
8. A alienabilidade no mercado: um renovado e revalorizado critério definitório das relações laborais e o novo quadro -histórico e institucional - do trabalho de "serviços", flexível, externalizado, descentralizado e atípico

PARTE II - A ALIENABILIDADE NO TRABALHO NO DOMICILIO
1. Introdução. A origem, evolução e o enquadramento histórico do trabalho no domicílio. A primeira aparição da alienabilidade no mercado
2. A Convenção n.° 177 da OIT e a Recomendação n.° 184 sobre o Trabalho no Domicílio: o trabalhador desconectado com a utilidade patrimonial, mas "co-responsável" nos
riscos
3. As definições e o enquadramento jurídico do trabalho no domicílio no Direito laboral português e espanhol
4. A delimitação do trabalho no domicílio e a sua actualidade e utilidade mesmo no actual sistema de produção. A "sem vigilância"
5. O contrato de trabalho no domicílio no Direito laboral português: um trabalho manual por conta alheia e autónomo
6. A importância renovada do artigo 115.° da LCTE: "es trabajo autónomo el que se hace para Ia venta directa dei producto sin intermédio de patrono" ou a alienabilidade
no mercado
7. O trabalho no domicílio na jurisprudência
8. Os elementos do contrato de trabalho no domicílio
9. Os elementos específicos do trabalho no domicílio
10. O critério da alienabilidade no mercado: o importante no trabalho "descentralizado" é a obtenção e a realização da "utilidade patrimonial" dos frutos
11. As modalidades do contrato de trabalho no domicílio no Direito laboral português
12. A formação do contrato de trabalho no domicílio
13. O conteúdo do contrato de trabalho no domicílio
14. A suspensão e a cessação do contrato de trabalho no domicílio
15. Uma nova reapreciação e uma nova implantação do trabalho no domicílio resultado do computador e das novas tecnologias

PARTE III - A ALIENABILIDADE NO TELETRABALHO
1. Enquadramento da actual relação básica social e jurídica do processo e do modo de produção: a externalização e a descentralização produtiva (outsourcing empresarial e laboral)
2. A "distância" e as novas tecnologias como um novo modo de produção capitalista. O teletrabalho
3. Aproximação à definição de teletrabalho: o trabalho à distância, a "externalização e descentralização" do posto de trabalho e as novas tecnologias
4. A relação jurídico-laboral do teletrabalho: as alienabilidades nos frutos e no mercado, através das novas tecnologias
5. O teletrabalho por conta alheia e por conta própria: a conexão ou desconexão do teletrabalhador com os frutos e com o mercado
6. As modalidades de teletrabalho segundo os critérios do "lugar" e do "modo de usar" as novas tecnologias. As exclusões
7. O contrato individual de teletrabalho: um contrato de trabalho "por objectivos" ou "por resultados"
8. Os elementos genéricos do contrato de teletrabalho
9. A prestação do contrato de teletrabalho
10. O cumprimento da prestação de teletrabalho
11. Garantias de cumprimento da teleprestação.
12. Os direitos individuais do teletrabalhador, enquanto pessoa, cidadão e trabalhador
13. Os direitos colectivos do teletrabalhador
14. O teletrabalho no Direito laboral português

Bibliografia
Sentenças citadas
Abreviaturas mais utilizadas

 

www.coimbraeditora.net
   
Powered by IBT Livraria Juridica. Todos os direitos reservados.